Notícias

Sócios do Flamengo detonam ações políticas contra Eduardo Bandeira: “Acaba a democracia, e começa a tirania”

Votação para definir o futuro do ex-presidente rubro-negro está marcada para a próxima segunda-feira (11)

O Conselho Deliberativo do Flamengo convocou uma reunião extraordinária para decidir sobre a suspensão de 90 dias do ex-presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, por declarações após o incêndio no Ninho do Urubu. O encontro foi marcado para a próxima segunda-feira (11), e irá debater o futuro do ex-mandatário. Em meio a isso, um grupo de sócios rubro-negros detoram as ações políticas contra Bandeira.

No manifesto, intitulado de ‘O Flamengo pede paz’, sócios pediram que os conselheiros do clube compareçam para votarem contra a suspensão do ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello. Segundo a carta, é importante se posicionar contra a “injustiça que poderá acometer qualquer associado”.

CONFIRA O MANIFESTO NA ÍNTEGRA:

“O Flamengo pede paz (mais uma vez)

O ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Melo encontra-se sob ameaça de injusto processo, que pode resultar na confirmação da sua SUSPENSÃO do quadro social do Clube, do qual faz parte desde 1978. Diante da gravidade desse fato, nós – associados, torcedores, amigos e admiradores de seu trabalho pelo Flamengo – tornamos público o seguinte manifesto:

– O Clube de Regatas do Flamengo é motivo de orgulho para seus associados e seus milhões de torcedores,
gente de todas as cores, de todas as classes e de todos os lugares. Um Clube que há 127 anos sintetiza o
Brasil com uma trajetória marcada por grandes conquistas.

– Durante seis anos (2013 a 2018), coube a Bandeira de Mello estar à frente da gestão. Nesse período, o Flamengo passou por importantes mudanças, incluindo uma profunda reestruturação administrativa e financeira. A administração, marcada pela lisura, passou a ser apontada como padrão a ser seguido pelos demais clubes brasileiros. Mais uma vez, encontra-se em curso um processo que pode culminar com a exclusão de Bandeira de Mello do quadro social do Flamengo. A partir da iniciativa de um pequeno grupo de associados, os Membros do Conselho de Administração suspenderam o ex-presidente por 90 dias dos seus direitos políticos. Qual teria sido a grave infração cometida por Bandeira de Mello? A manifestação de opinião em entrevista para um veículo da imprensa.

– A conquista do poder nunca foi vista como instrumento para perseguições ou vinganças contra adversários. Pois essa tradição de convivência democrática pode ser quebrada com a eventual confirmação da suspensão de um ex-presidente do Clube, cujos serviços prestados são reconhecidos por todos. Seu “crime” teria sido a livre manifestação de sua opinião para um órgão de imprensa, sem ter imputado qualquer responsabilidade a qualquer outra pessoa ou a atual gestão.

– Uma punição ao ex-presidente Eduardo Bandeira, além de injusta, seria equivalente a um arbitrário exílio, um desterro que roubaria parte da sua identidade, já que o Flamengo é uma das maiores paixões da sua vida. Seria uma mancha na história do Flamengo. A partir do momento em que um ex-presidente pode ser banido sem ter cometido nenhuma ilegalidade, TODOS os associados estarão sujeitos a penalidades em função de manifestação de opinião, o que caracteriza censura. Quem ousar questionar, peticionar, protestar, reclamar poderá vir a ser vitima de um processo Eaí, acaba a democracia, e começa a tirania.

Por isso, em nome da Democracia interna do Clube de Regatas do Flamengo, defendemos o provimento do recurso de Eduardo Bandeira de Mello, contra a injusta suspensão dos seus direitos políticos no processo que pode culminar com seu banimento, e que será julgado pelos membros do Conselho Deliberativo na próxima segunda-feira,11/04, às 19h.

Conselheiro (a), compareça ao Clube e manifeste-se contra esta arbitrariedade e injustiça.
Vote contra a suspensão do Ex-Presidente Eduardo Bandeira de Mello, vote contra a injustiça que poderá acometer qualquer associado, vote a favor e com respeito a Democracia Rubro-Negra!

O Flamengo não merece ter essa mancha em sua história.
O Flamengo precisa de PAZ”.

Cabe lembrar que, após o incêndio no Ninho do Urubu, a maior tragédia da história do Flamengo, em fevereiro de 2019, Eduardo Bandeira de Mello afirmou que, caso fosse o presidente na época, o acidente não teria ocorrido. À época, as declarações foram julgadas pelo Conselho de Administração, que puniu o ex-mandatário em 90 dias de suspensão.

Apesar da decisão do COAD à época, Eduardo Bandeira de Mello conseguiu entrar com recurso e anular a suspensão, mudando a resolução de caso para as mãos do Conselho Deliberativo. Agora, caberá aos integrantes do CODE debater a situação e votar o tema na próxima segunda-feira (11), a partir das 19h (horário de Brasília).

Link da matéria

E pra você que curte o mundo esportivo -- entre agora mesmo em Palpites GE e tenha sempre em mãos as melhores dicas de investimento no futebol brasileiro e internacional.