Notícias

Buscando o tetracampeonato Carioca, Flamengo precisa corrigir erros que vem cometendo contra Fluminense


Buscando o tetracampeonato Carioca, Flamengo precisa corrigir erros que vem cometendo contra Fluminense
Gabi-marcando-contra-Fluminense
(Foto: Alexandre Vidal)

Nesta quarta-feira, Flamengo e Fluminense se enfrentam às 21h40, no Maracanã, na primeira partida da final do Campeonato Carioca 2022. Pelo terceiro ano consecutivo rubro-negros e tricolores decidem a competição.

As duas últimas edições do Carioca foram conquistadas pelo Flamengo, que tem a possibilidade de conquistar o inédito tetracampeonato consecutivo. Já o Fluminense busca evitar o terceiro vice-campeonato consecutivo, e a marca do tetra rubro-negro.

Se analisarmos a qualidade técnica, o elenco do Mais Querido é superior ao do Fluminense. Porém chama atenção como o tricolor consegue encaixar muito bem o seu jogo contra o Flamengo, mesmo com a disparidade de elencos, o Flu vem levando vantagem.

Nos últimos sete jogos entre as equipes foram cinco vitórias do Fluminense, uma vitória do Flamengo e um empate. Mesmo em partida que teve mais a bola e criou mais chances, o Mais Querido acabou derrotado pelo tricolor.

Para o confronto desta quarta-feira, Paulo Sousa teve a semana livre para ajustar os pontos. Enquanto o Fluminense jogou no último domingo, onde foi derrotado pelo Botafogo, mas conquistou a vaga.

Para o colunista do ‘UOL’, Rodrigo Coutinho, o período livre que Paulo Sousa teve foi para ajustar alguns pontos que a equipe vinha pecando. Coutinho falou sobre as suas expectativas para a partida do Flamengo.

“A expectativa é por uma melhora em alguns pontos que o time vinha tendo dificuldades, sobretudo contra adversários mais fechados, ter uma movimentação mais natural próximo da área para gerar os espaços e as conexões entre os jogadores de uma forma mais regular durante o jogo. O Flamengo teve alguns momentos assim durantes alguns jogos, mas sem manter durante um tempo inteiro ou os 90 minutos. Uma outra expectativa é que o time seja mais preciso nas finalizações, pois em diversos jogos a equipe teve situações de gol, mas acabou não finalizando bem”, disse Rodrigo Coutinho.

Nos últimos clássicos, foi possível notar o quanto o desequilíbrio emocional do Flamengo estava nítido. Os tricolores usaram todos os artifícios para desconcentrar os rubro-negros e isso afetou diretamente no resultado final.

Coutinho abordou esses pontos, destacando como pecados que o Flamengo tem cometido contra o Fluminense. O jornalista destacou que até mesmo em partidas vencidas pelo Mais Querido, esse desequilíbrio tem acontecido.

“Nas partidas contra o Fluminense, o Flamengo tem pecado muito em dois aspectos. O primeiro é que em jogos assim geralmente os times não tem muitas chances de gols, e o Flamengo tem pecado muito nas escolhas das jogadas, no último passe. Às vezes dá um toque a mais, enfeita muito quando tem a condição de finalizar e isso foi uma constante nos jogos que o Flamengo perdeu nos jogos para o Fluminense. O segundo ponto é o desiquilíbrio emocional, porque nos confrontos o Fluminense vem sendo um time que provoca, picota os jogos, reclama com a arbitragem, retarda o início do jogo. E é sempre muito concentrado em campo, o Flamengo tem pecado nesses pontos, o time perde a concentração, se desestabiliza emocionalmente e o Fluminense acaba marcando o gol. Até em jogos que o Flamengo não foi derrotado pelo Fluminense, isso aconteceu”.

Siga o Diário no Instagram

Por fim, Rodrigo Coutinho disse que espera que os jogadores do Flamengo estejam vacinados contra esse tipo de provocação que aconteceu nos últimos confrontos. O colunista do ‘UOL’ destacou a experiência do elenco rubro-negro para não cair nesse jogo tricolor.

Siga o Diário no Twitter

“O time do Flamengo precisa entrar vacinado contra esse jogo de pressão psicológica do Fluminense, pois tem um elenco experiente que já passaram por decisões mais importantes que essa, pelo próprio Flamengo. Final de Libertadores, reta final de Campeonato Brasileiro, tem atletas que jogaram Copa do Mundo, final de Champions League. Então a equipe precisa ter a cabeça no lugar para manter o equilíbrio, responder provocações dependendo da situação não é bom, pois pode perder o foco do jogo. Os jogadores mais experientes sabem ter essa leitura durante o jogo e precisam aproveitar”.



Link do Artigo do DiariodoFla.com.br

E pra você que curte o mundo esportivo -- entre agora mesmo em Palpites GE e tenha sempre em mãos as melhores dicas de investimento no futebol brasileiro e internacional.